top of page

Integrando a gestão da inovação com a estratégia empresarial na odontologia.

As grandes organizações ligadas à odontologia enfrentam desafios únicos e também oportunidades igualmente únicas. Indústrias, grupos empresariais, franquias, operadoras de planos odontológicos e outras grandes organizações, sabem que precisam inovar, mas poucos estão fazendo com êxito. Pesquisa recente da PWC deu conta que 84% dos executivos atestam que a inovação é prioridade para suas estratégias de crescimento, entretanto 94% destes estão frustrados com o desempenho de suas inciativas de inovação. Certamente esses não são todos executivos de organizações ligadas à odontologia, mas me arrisco a dizer que na odontologia o resultado é o mesmo, se não ainda pior.

Como profissional da odontologia e consultor de estratégia e inovação, percebo a importância de alinhar as ações de inovação com a estratégia de negócios de uma organização. Este artigo destaca porque e como as grandes organizações ligadas à odontologia devem integrar a gestão da inovação em suas estratégias empresariais.

A demanda crescente por inovação na odontologia.

Demandas dos clientes: os pacientes de hoje estão mais informados e exigentes. Eles buscam tratamentos personalizados, eficientes e menos invasivos. Um estudo da ADA (American Dental Association) revela uma crescente preferência por procedimentos estéticos e minimamente invasivos, impulsionando a demanda por novas tecnologias e abordagens no tratamento odontológico.


Concorrência: o mercado odontológico está se tornando cada vez mais competitivo. De acordo com um relatório da Market Research Future, a competição intensificada está impulsionando a inovação, com empresas buscando diferenciação através de novos produtos e serviços.


Avanços tecnológicos: as novas tecnologias, como a impressão 3D e a inteligência artificial, estão revolucionando a odontologia. Um estudo da Journal of Dental Research indica que a adoção de tecnologias emergentes não é apenas uma tendência, mas uma necessidade para melhorar a precisão e eficiência dos tratamentos.


Força de trabalho: a transformação digital está afetando todas as grandes organizações. Um relatório da Deloitte sobre a força de trabalho no setor de saúde aponta que a adoção de ferramentas digitais está se tornando crucial para melhorar a eficiência operacional e a satisfação do colaborador.

Então por onde começar a inovar?


A inovação não deve ser vista como uma série de projetos isolados, mas como parte integrante da estratégia de inovação de uma empresa. É essencial que todos na organização, desde a alta gestão até a força de trabalho operacional, se envolvam e contribuam para a cultura de inovação. Este compromisso coletivo é o que impulsiona as verdadeiras transformações na organização.

Para que a inovação seja eficaz, ela deve estar em sintonia com os objetivos de negócio da empresa. E esse deve ser o começo de toda estratégia de inovação na organização. Isso significa que os indicadores de desempenho das iniciativas de inovação devem refletir e contribuir para a estratégia empresarial. A inovação, assim, torna-se um meio para atingir os resultados desejados pela organização, e não um fim em si mesma.

Uma estratégia de inovação eficaz é um roteiro que define como uma empresa pode usar a inovação para alcançar seus objetivos de negócios. Segundo um artigo da Harvard Business Review, uma estratégia de inovação deve ser alinhada com a estratégia de negócios da empresa e claramente articulada para garantir que todos na organização entendam seu papel na inovação.

Iniciar uma jornada com ações e projetos isolados de inovação, fora de uma estratégia estruturada, não é somente um desperdício de recursos, como também pode ser a porta para a perda de relevância da organização em um cenário cada vez mais complexo e desafiador.

As 4 chaves para o alinhamento da estratégia de inovação com a estratégia de negócios.

  1. Definição de metas de inovação: as metas de inovação devem ser estabelecidas com base nos objetivos estratégicos da empresa. Uma pesquisa da McKinsey & Company destaca a importância de definir metas claras e mensuráveis para guiar os esforços de inovação.

  2. Integração com a estratégia de negócios: as ações e projetos de inovação devem estar intrinsecamente ligados à estratégia de negócios. Isso significa alinhar iniciativas de inovação com os objetivos a longo prazo da empresa, como demonstrado em um estudo do MIT Sloan Management Review.

  3. Cultura de Inovação: para uma estratégia de inovação ser bem-sucedida, é crucial o envolvimento de todos os níveis da organização. Um relatório da Boston Consulting Group enfatiza a necessidade de uma cultura de inovação onde a alta gestão, equipes de médio escalão e equipes operacionais colaborem e contribuam com ideias inovadoras.

  4. Avaliação contínua e ajustes: a estratégia de inovação não é estática; ela requer revisão e ajustes constantes. Um artigo da Forbes sugere que as empresas devem avaliar continuamente o desempenho de suas iniciativas de inovação e adaptar sua estratégia conforme necessário para atender às mudanças do mercado e da tecnologia.

Ok, mas e agora?


As grandes organizações ligadas à odontologia devem reconhecer a necessidade de integrar a inovação em suas estratégias de negócios. Neste cenário, minha experiência e conhecimento como profissional da odontologia e consultor de estratégia e gestão de inovação me posicionam de maneira confortável para orientar grandes organizações deste setor. Com uma compreensão profunda das tendências atuais, das necessidades de mercado e das tecnologias emergentes, estou preparado para ajudar essas organizações a construírem e implementar estratégias de inovação robustas, que não só atendam às suas necessidades imediatas, mas também as preparem para um cenário cada vez mais complexo e desafiador.




10 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page